Home » Câncer » Orientações - Paciente e Familiares » Orientações aos Pacientes Traqueostomizados
Arquivo completo no formato PDF (466 Kb)

O que é traqueostomia?

A traqueostomia é um dos recursos que podem ser usados para facilitar a chegada de ar aos pulmões quando existe alguma obstrução no trajeto natural.


Traqueostomia é uma pequena abertura feita na traquéia, que fica na parte anterior do pescoço, próxima ao "pomo de Adão". Neste local, é introduzido um tubo de metal (chamado cânula traqueal) para facilitar a entrada de ar.


Quando acontece a obstrução à passagem de ar?
Quando há a presença de um tumor obstruindo a garganta (laringe) que dificulta a chegada de ar aos pulmões.

Também pode acontecer depois de alguns tipos de cirurgia, quando a garganta fica inchada, o que pode dificultar a respiração. Nestes casos, é necessário fazer um abertura temporária para a passagem de ar, até que a garganta volte ao normal.


Quais são os sinais de obstrução?
Há vários sinais que podem ser sentidos. Caso apareça algum deles, procure a equipe de profissionais do seu hospital. Esclareça todas as suas dúvidas conosco.
- Acessos freqüentes de tosse;
- Sensação de asfixia, ou de "estar se afogando no seco", falta de ar;
- Respiração ruidosa (barulhenta) e com esforço ;
- Dificuldade para respirar ao deitar (dificuldade para dormir deitado);
- Falta de ar após pequenos esforços. A pele pode ficar muito pálida ou azulada;
- Engasgos freqüentes.


O paciente que faz a traqueostomia se tornará dependente dos outros?
Não. A pessoa traqueostomizada pode se cuidar sozinha, pois a traqueostomia e a cânula não interferem no dia-a-dia. Para aprender a mexer na traqueostomia e na cânula, basta um treinamento simples com a equipe de enfermagem no hospital.

No momento da alta hospitalar, na enfermaria, você receberá orientações apenas quanto ao manuseio e limpeza da subcânula.

Posteriormente, no Ambulatório de Curativos da cabeça e pescoço (localizado na Rua do Rezende, 128), o paciente e seu familiar receberão instruções sobre como colocar a cânula, como limpar sua traqueostomia e o que fazer em quaisquer situações de dificuldade. Este treinamento demora apenas alguns minutos.

Estaremos sempre à sua disposição para esclarecer dúvidas
ou solucionar problemas a qualquer momento.

O que você pode fazer caso haja alguma dificuldade com a traqueostomia?
Sempre que houver qualquer problema procure o hospital. Lembre-se de que estamos aqui 24 horas por dia. Lembre-se que, embora não pareça, alguns problemas são fáceis de resolver, como por exemplo:

• Entupimento da cânula por crostas de secreção acumulada (evite o acúmulo de secreções mantendo sempre a cânula limpa - leia adiante);
• Saída acidental da cânula;
• Expectoração de secreção com vestígios de sangue.

Nestes casos, basta procurar nossa equipe no Ambulatório de Curativos ou no Setor de Emergência. É importante manter a calma, pois o pânico aumentará a dificuldade de respirar.


O que você pode fazer para evitar problemas
O que você pode fazer para evitar problemas
Aprenda a trocar sua cânula sozinho, assim que possível. Procure não depender de outras pessoas para manter a sua saúde, principalmente quando se trata da sua traqueostomia. Lembre-se de que ela é fundamental à sua "boa respiração".

Troque o conjunto completo da cânula todos os dias ou quantas vezes forem necessárias, de preferência com horários fixos (Ex.: às 7 horas e às 21 horas). Sempre que for fazer a troca tenha à mão todo o material necessário:
• conjunto completo de cânula esterilizada (já com o cadarço);
• lubrificante para a cânula;
• uma gaze para acolchoar e outra para limpar ao redor do traqueostoma.


Como esterilizar o conjunto

Seu conjunto de cânula deve ser esterilizado sempre que for trocado. Para isto, faça o seguinte:
1. Retire o cadarço antigo. Lave-o ou jogue-o fora se estiver muito desfiado.
2. Coloque o conjunto de cânula de molho em água e sabão por alguns minutos. Use um recipiente somente para isso.
3. Depois que a crosta de secreções estiver amolecida, esfregue bem a cânula e a subcânula, por dentro e por fora, usando uma esponja ou uma tira de tecido com sabão.
4. Enxagüe com água corrente para tirar todo o resíduo do sabão.
5. Esterilize o conjunto completo em água fervente por 10 minutos, no mínimo.
6. Após a esterilização, guardar em recipiente com tampa (também esterilizado ou bem desinfetado com álcool). Este recipiente deve ser utilizado apenas para a cânula.


Outras sugestões importantes
Limpe a subcânula três vezes ao dia, no mínimo, e a mantenha sempre no lugar. Ela é a sua segurança em casos de entupimento, por exemplo, pois você poderá trocá-la rapidamente, sem ficar sufocado.

Mantenha uma boa higiene na área ao redor da traqueostomia, limpando-a cuidadosamente com sabonete neutro (sabonete de bebê ou de glicerina) e água limpa, pelo menos duas vezes ao dia.

Conserve a região ao redor da traqueostomia com a pele bem hidratada com um creme suave, sem perfume.

Utilize um acolchoado (com duas gazes dobradas) entre a cânula e a pele do pescoço, mantendo-o sempre limpo e seco. Isso evitará que a cânula incomode ou irrite a pele ao redor do traqueostoma.

Mantenha a traqueostomia protegida por um avental pequeno (rede de crochê) para evitar a entrada de poeira ou ciscos e principalmente o ressecamento da traquéia e dos brônquios. Lembre-se de que agora o ar que entra em seus pulmões não passa mais através do nariz, onde era filtrado, aquecido e umidificado naturalmente. Isso significa que você deverá tomar mais cuidado com a qualidade do ar que respira.

Use material macio para o cadarço e não o coloque muito apertado, de forma que não machuque seu pescoço.


Tosse e nebulizações
Faça nebulizações sempre que sentir muito ressecamento nas vias aéreas ou estiver com dificuldade para expelir a secreção dos pulmões. É comum isto ocorrer pela manhã, logo após acordar. Neste caso, faça uma nebulização com soro fisiológico (5ml).

É comum ter tosse após a traqueostomia. Não se preocupe! Isto se deve à maior quantidade de partículas de poeira que entram (antes filtradas pelas mucosas da boca e narinas) e que serão eliminadas pela tosse.

Não deixe que a secreção expectorada fique acumulada ao redor da cânula. Isso favorece a infecção pulmonar e atrai insetos devido ao mau cheiro que produz.

Também é comum que a subcânula saia durante os acessos de tosse. Se isto acontecer, coloque outra subcânula limpa no lugar. Lave e esterilize novamente aquela que caiu. Se você não conseguir encontrá-la, traga o conjunto que ficou incompleto para trocar por outro novo no ambulatório de curativos, assim que puder.

Quando seu conjunto de cânula estiver amassado ou perdendo o cromado, troque por outro novo no ambulatório.


Ao sentir "falta de ar", faça o seguinte:
1. Retire a subcânula e faça a limpeza das crostas aderidas, recolocando-a depois.
2. Se você já sabe trocar sua cânula, troque o conjunto completo por outro limpo e esterilizado.
3. Se mesmo assim você está sentindo que o ar que entra por sua traqueostomia não é suficiente, procure o Setor de Emergência do hospital. Esta é a maneira correta de avaliar o que está acontecendo. Não perca tempo procurando outras instituições ou "esperando melhorar sozinho".

Procure os profissionais do ambulatório de curativos da Cabeça e Pescoço sempre que tiver dúvidas ou qualquer dificuldade com sua traqueostomia. Não perca tempo com "curiosos" que não conhecem bem o seu caso. Nosso ambulatório funciona de 8h às 16h, de segunda a sexta-feira. Fora deste horário ou nos finais de semana e feriados, procure o Setor de Emergência de seu hospital.
Texto: Maria Teresa dos Santos Guedes / Enfermeira do Hospital do Câncer I
Vera Lúcia da Costa Dias / Auxiliar de Enfermagem do Hospital do Câncer I



Copyright © 1996-2014 INCA - Ministério da Saúde - Praça Cruz Vermelha, 23
Centro - 20230-130 - Rio de Janeiro - RJ - Tel. (21) 3207-1000
A reprodução, total ou parcial, das informações contidas nessa página é permitida sempre e quando for citada a fonte.
Gerenciado pelas divisões de Comunicação Social e Tecnologia da Informação