Vol.48 n° 4



Artigo completo


Inibidores da aromatase no câncer de mama: da doença metastática ao tratamento adjuvante
Aromatase inhibitors in breast cancer: from metastatic disease to adjuvant treatment

Everardo D Saad,1 Sylvio Bromberg,1 Artur Katz1,2 e Sergio D Simon1,2

Resumo

Os tratamentos hormonais continuam a ter papel importante no manejo clínico das pacientes com câncer de mama. Entre os avanços mais recentes, os inibidores da aromatase de terceira geração vêm ocupando lugar de destaque no contexto da doença metastática. A aromatase, presente em diversos tecidos, é responsável pela conversão de andrógenos em estradiol e estrona. Antes da menopausa, a maior parte dos estrógenos femininos se origina nos ovários. Com a insuficiência ovariana, as glândulas supra-renais passam a ser a principal fonte de andrógenos, que são convertidos pela aromatase em estrógenos; esta conversão ocorre em tecidos periféricos como gordura, músculos, fígado e o próprio tumor de mama. A inibição da aromatase é uma estratégia com base racional sólida, e comprovadamente eficaz no sentido de reduzir os níveis séricos de estrógenos em mulheres pós-menopausa. Os inibidores de aromatase de primeira e segunda geração caracterizaram-se por alta toxicidade ou baixa eficácia, quando comparados ao tamoxifeno. No entanto, o tamoxifeno apresenta, além de sua ação antiestrogênica, um efeito pró-estrogênico, responsável por efeitos colaterais, tais quais proliferação do endométrio e fenômenos tromboembólicos. Estudos recentes, discutidos neste artigo, demonstraram a superioridade dos inbidores da aromatase de terceira geração, com relação ao megestrol, no tratamento hormonal de segunda linha do câncer de mama metastático em mulheres pós-menopausa. Além disto, estas drogas têm conquistado papel de destaque no tratamento de primeira linha da doença metastática, no tratamento neo-adjuvante, e no tratamento adjuvante de pacientes com câncer de mama.


Palavras-chave: neoplasias mamárias; aromatase; quimioterpia adjuvante; metástase neoplásica; antagonistas & inibidores; hormônios.

1 Departamento de Oncologia Clínica, Hospital Israelita Albert Einstein Av. Albert Einstein 627/701, 2o subsolo; 05651-901 São Paulo, SP - Brasil. Enviar correspondência para E.D.S.
2 Centro Paulista de Oncologia, São Paulo, SP - Brasil.
Recebido em novembro de 2001.


Revista Brasileira de Cancerologia - Volume 48 n°4 Out/Nov/Dez 2002