17/05/2012
Diversificação em áreas de tabaco é tema de oficina na capital fluminense
11/05/2012 05:43

A Secretaria da Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SAF/MDA), o Centro de Estudos de Políticas de Controle do Tabaco (CETAB) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a Prefeitura Municipal de Dom Feliciano, realizam, nesta segunda e terça-feira, 14 e 15 de maio, na cidade do Rio de Janeiro, uma Oficina de Trabalho para discutir as futuras ações do projeto de pesquisa em áreas de cultivo de tabaco, que será implementado em Dom Feliciano e em outros seis municípios do Rio Grande do Sul.

Desenvolvido em conjunto pelo MDA, fundação Fiocruz e Prefeitura Municipal de Dom Feliciano, o objetivo do projeto é elaborar um estudo para conhecer as crenças, atitudes, práticas, graus de vulnerabilidade e percepção de risco de grupos de agricultores envolvidos no plantio de tabaco - como mulheres, jovens e crianças. Além de Dom Feliciano, serão contemplados com a iniciativa agricultores fumicultores do Rio Grande do Sul, situados no Território Centro-Sul , dos municípios de Chuvisca, Cerro Grande do Sul, Camaquã, Barão do Triunfo, General Câmara e São Jerônimo. Os resultados do estudo vão subsidiar ações para o desenvolvimento rural sustentável nos municípios participantes.

Na avaliação da coordenadora do Programa Nacional de Diversificação em Áreas Cultivadas com o Tabaco da SAF/MDA, Adriana Gregolin, a oficina visa nivelar as ações do Governo Federal com a diversificação da produção nas áreas de tabaco. “Vamos conhecer a experiência da Fiocruz , as pesquisas sobre o tema nas áreas produtoras de tabaco com foco nas mulheres trabalhadoras rurais, nos jovens e nas crianças. Além disso, será apresentada a experiência do Programa de Diversificação em andamento no município de Dom Feliciano”, destaca.

Adriana também esclarece que a expectativa com a realização da oficina é sair com um planejamento pronto, com as futuras atividades que serão realizadas pelo projeto.“A Fiocruz tem uma vasta experiência no controle do tabagismo voltada para a questão do consumo no meio urbano. Essa aproximação é importante porque vamos construir um trabalho com ações direcionadas para o campo, para os agricultores”, esclarece. O evento também conta com a participação da diretoria de Políticas para as Mulheres Rurais e Quilombolas do MDA.

Modelo em Dom Feliciano

Um exemplo de ação bem sucedida do programa é o projeto de pesquisa e desenvolvimento em curso no município de Dom Feliciano, no Rio Grande do Sul. Todo o município está integrado nas ações do projeto que tem como objetivos gerar referências para a diversificação da produção e renda e integrar ações de saúde, meio ambiente, comercialização, Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), dentre outros aspectos.

O Programa Nacional de Diversificação em Áreas Cultivadas com Tabaco foi criado em 2005, quando o Brasil ratificou a Convenção-Quadro para o Controle de Tabaco (CQCT) – primeiro tratado internacional de saúde pública da história da humanidade que conta com a subscrição de 174 países membros da OMS –, e atende aos artigos 17 e 18 da convenção. A convenção orienta a implantação, pelos países signatários, de políticas públicas que apoiem o combate ao tabagismo, considerado pela OMS uma epidemia não transmissível e mundial.

Fonte : Portal do Ministério do Desenvolvimento Agrário