Causas e Prevenção

Poeira de sílica


Última modificação: 14/11/2018 | 13h41

A sílica refere-se aos compostos de dióxido de silício, o mineral mais abundante na crosta terrestre, encontrado em rochas e areias. A sílica é amplamente utilizada como produto final, subproduto ou matéria-prima em vários processos industriais, conforme pode ser visto no quadro a seguir:

Setor Econômico

Atividade
Agricultura

Aragem, colheita.

Beneficiamento de minério

Marmoraria, lapidação e corte de pedra, moinho.

Indústria de cerâmica

Mistura, moldagem, cobertura vitrificada ou esmaltada, rebarbação, carga de fornos e acabamento.

Indústria de cimento

Processamento de matéria-prima como argila, areia, pedras e terra diatomácea.

Construção civil

Construção pesada (túnel e barragens). Corte, acabamento, escavação, alvenaria, jateamento, movimentação de terra, demolição.

Construção naval

Jateamento, manutenção e limpeza.

Extração mineral

Mineração a céu aberto ou de subsolo, lavra por explosivo, perfuração, corte, britagem, moagem, peneiramento e ensacamento, pedreiras.

Fundição

Fundição da peça, retirada do molde, limpeza, alisamento. Instalação e reparo de fornos.

Indústria de mineral não metálico

Cerâmica, vidros e fundições.

Limpeza com abrasivo (jateamento)

Manutenção de materiais que utilizam jateamento com areia ou outro abrasivo contaminado com areia. Manipulação de jeans em indústria têxtil.

Matéria-prima

Indústria que utilizam material contendo sílica (quartzito, feldspato, filito, granito, agalmatolito, bentonita, dolomita, argila e caulim), tais como: cosmético, tintas, sabões, farmacêutica, inseticida, terra diatomácea.

Serviços diversos

Protéticos, cavadores de poços, artistas plásticos, reparo e manutenção de refratários.


Formas de exposição

No trabalho:

  • A sílica representa um risco maior em ambientes de trabalho como: construção civil, indústrias de cerâmica, agricultura, metalurgia entre outros,  que possuem equipamentos (tecnologia) que propiciam ou não impedem a contaminação do meio com poeira de sílica.

Ambiental:

  • A natureza da poeira de sílica propicia que a exposição ambiental ocorra, basicamente, pela proximidade a ambientes em que a rocha seja fraturada em pequenos pedaços. Isso se dá nas proximidades de pedreiras, área de arado, construção civil, extração mineral em minas a céu aberto, entre outras.

Alterações de vento, contaminação de solo e de água subterrânea são variações comuns deste processo de trabalho, que apresenta um risco diferenciado para a exposição ocupacional e ambiental à sílica.


Principais efeitos á saúde

A exposição à sílica também pode aumentar o risco de doenças autoimunes, esclerose sistêmica, artrite reumatoide, lúpus, complicações na derme, anemia hemolítica, além de vários tipos de câncer, tais como de pulmão, estômago, fígado, esôfago, pâncreas, intestino, ósseo, faríngeo, pele, cérebro e rim.

No Brasil, a silicose é a principal pneumoconiose causada por inalação de poeira de sílica. Caracteriza-se pela formação de tecido conjuntivo fibroso no pulmão, chamada de fibrose. Esta é responsável pela diminuição da elasticidade pulmonar, prejudicando o processo de trocas gasosas. O adoecimento por silicose propicia o aumento do risco de câncer pulmonar e de outras doenças autoimunes.

  • Trabalhadores expostos à sílica, quando comparados com a população em geral, possui risco 2 a 3 vezes maior a câncer de pulmão.
  • Ressalta-se que grupo de trabalhadores expostos à poeiras estão sujeitos às múltiplas exposições em seu ambiente de trabalho que extrapolam os riscos decorrentes exclusivamente da produção de pó.

Medidas de controle

Recomenda-se  a eliminação da substância, mudança de processo ou operação, umidificação, ventilação, enclausuramento, isolamento, limpeza ou manutenção geral, sinalização e rotulagem, monitoramento ambiental, limitação do tempo de exposição, proteção respiratória, asseio pessoal e exames médicos.

Copyright