Causas e Prevenção

Poluição do ar


Última modificação: 14/11/2018 | 13h50

A poluição do ar é definida como a presença de contaminantes ou de substâncias poluidoras no ar atmosférico, sejam eles gases, materiais particulados e compostos orgânicos voláteis, que interfiram na saúde e no bem-estar humano, ou ainda causem efeitos danosos ao meio ambiente.


Formas de exposição

Todas as populações habitantes de áreas industrializadas estão expostas a poluentes do ar. Existem muitas fontes naturais de poluição atmosférica (vulcões, incêndios florestais, poeira levada pelo vento, vapores naturais), mas são as fontes antropogênicas (aquelas produzidas pelo homem) que emitem poluentes em altas concentrações e que levantam preocupações sobre seus potenciais impactos na saúde.

- Principais fontes de poluição do ar

Natural

Principalmente poeira do deserto, sal marinho e emissões de enxofre vulcânicos e orgânicos libertados pela vegetação.

Indústria

Setores siderúrgico, químico, alimentícios, de petróleo.

Transportes terrestres

Transportes rodoviários e não rodoviários em terra.

Utilização de energia residencial e comercial

Energia a partir de pequenas fontes de combustão para aquecimento de espaços e cozedura, incluindo geradores a diesel e utilização de biocombustíveis.

Produção de energia

Centrais elétricas alimentadas a combustíveis fósseis.

Queima de Biomassa

Incêndios florestais tropicais e desmatamento, incêndios de savanas e arbustos, fogos de pastagem e queima de resíduos agrícolas.

Agricultura

Emissões de amônia associadas ao uso de fertilizantes e animais domesticados.


Principais efeitos à saúde

As principais doenças pulmonares crônicas são a bronquite, o enfisema e o câncer. Há evidência suficiente de associação entre poluição ambiental e câncer de pulmão e de bexiga.


Medidas de controle

Como a poluição atmosférica é um problema complexo, com diversas causas e consequências, seu enfrentamento deve-se basear uma visão ampla do tema. Devem ser adotadas, dentre outras, medidas tais como: monitoramento da estruturação dos programas e ações de controle das fontes de poluição fixas e móveis; estabelecimento de árvores artificiais para capitação de mais CO2; práticas ecológicas para economia de energia e otimização da estrutura energética; aumento dos sumidouros de carbono, além de capacitação de recursos humanos e geração de novas tecnologias.