Notícias

INCA é premiado em programa que incentiva empoderamento feminino na ciência

Pesquisadora do Instituto tem escolhido trabalho que aperfeiçoa imunoterapia contra melanoma na mucosa, tipo de câncer raro e grave

Publicado: 25/08/2020 | 13h05
Última modificação: 25/08/2020 | 13h13

O INCA é um dos sete vencedores da categoria “Ciências da Vida”, na 15ª edição do Programa Para Mulheres na Ciência. O trabalho escolhido do Instituto é o da oncologista e pesquisadora Andreia Melo, que procura aperfeiçoar a imunoterapia contra o melanoma de mucosa, um tipo de câncer raro e grave, para o qual a sobrevida mediana é menor que 12 meses. Sua proposta é um estudo translacional, que envolve desde análises em laboratório até uma abordagem clínica. De acordo com as características moleculares dos tumores, um paciente pode enfrentar a doença de forma mais ou menos favorável.

“Esse tipo de melanoma é bem menos comum que o melanoma primário da pele. Entretanto, tem comportamento mais agressivo, responde menos à imunoterapia e, portanto, tem pior prognóstico”, explica Andreia Melo. “O objetivo é avaliar alguns biomarcadores, tanto clínicos como moleculares, em um grupo de pacientes com melanoma de mucosas. Esses dados podem ser utilizados em um futuro próximo para o desenvolvimento de uma nova abordagem terapêutica para esses pacientes.”

A premiação é promovida pela L’Oréal Brasil, em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) no Brasil e a Academia Brasileira de Ciências. A ideia é transformar o cenário científico por meio do empoderamento feminino, favorecendo a ocupação de posições de destaque na ciência por mulheres.

Desde 2008, mais de 100 pesquisadoras foram premiadas com a distribuição de R$ 4,5 milhões em bolsa-auxílio. Na edição deste ano, 556 estudos foram inscritos.
 

Copyright