Notícias

INCA lamenta morte do pesquisador Hector Seuánez

Geneticista trabalhou no INCA por mais de 30 anos e recebeu a comenda da Ordem do Mérito científico nacional

Publicado: 21/08/2021 | 22h09
Última modificação: 27/08/2021 | 17h01

Com muito pesar, o INCA comunica o falecimento, em 20 de agosto, do médico geneticista Hector Nicolás Seuánez Abreu, pesquisador do Instituto, onde era líder do grupo de Genética Tumoral e Análise de Genomas. Atuava ainda como orientador da Pós-Graduação em Oncologia da instituição. Ele faleceu em decorrência de um câncer no esôfago. 

Hector participou da criação e da implantação do Programa de Pós-Graduação em Oncologia do INCA (PPGO) em 2005, do qual foi membro da Comissão de Pós-Graduação por vários anos. Foi o orientador do primeiro trabalho de conclusão do PPGO, a dissertação de mestrado da aluna Raquel Barbosa. O pesquisador atuou ativamente no PPGO, orientando alunos e ministrando a disciplina de Genética Básica até este ano. 

Nasceu em Montevidéu, no Uruguai, onde cursou estudos primários e secundários. Recebeu uma bolsa de estudos para cursar Biologia na Gonzaga University (no estado de Washington nos, EUA). No retorno ao Uruguai, estudou Medicina e obteve os títulos de Doutor em Medicina e em Biologia em 1974. 

Em 1984, criou a Divisão de Genética no INCA, ocupando interinamente a Coordenação de Pesquisa em 1993 e em 1996-97. Entre 1987 a 1991, foi pesquisador visitante no Laboratory of Viral Carcinogenesis do National Cancer Institute (NIH) em Frederick, Maryland (EUA). Sua produção científica compreendeu mais de 100 publicações em revistas indexadas de circulação internacional, tendo orientado mais de 15 estudantes de pós-graduação stricto sensu. Formou vários pesquisadores que hoje atuam em importantes instituições de ensino e pesquisa do Brasil e do exterior. Recebeu a comenda da Ordem do Mérito científico nacional.
 
“Incansável, mostrou a todos que conviveram com ele uma imensa capacidade de trabalho, que permitiu o avanço da pesquisa no INCA, na Universidade Federal do Rio de Janeiro e no Brasil. Sua mente sagaz, sua determinação, seu espírito colaborativo, seu prazer em fazer, discutir e ensinar ciência permanecerão presentes na lembrança de todos que o conheceram. Deixa a esposa, Maria Helena, os filhos, Maria José, Pablo e Ana, os netos e uma grande quantidade de gratos amigos que sentirão muito sua falta, mas que também aprenderam muito com ele”, contemporizou o geneticista Miguel Moreira, que trabalhou diretamente com Hector Seuánez no INCA desde 1991.

 

Copyright