Notícias

INCA promove exposição sobre o câncer do colo do útero

Desinformação ainda é um grande obstáculo para o controle da doença

Publicado: 04/05/2018 | 14h40
Última modificação: 07/05/2019 | 11h15
Maria do Espírito Santo Tavares (Santinha), Renata Barros e Maria Assunción Solé Pla fizeram apresentações durante o evento

Ao final dos painéis, foi aberto espaço para discussões sobre o tema

Na segunda-feira, 7, o INCA, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz e a Concessionária Novo Rio, inaugurou a exposição A Mulher e o Câncer do Colo do Útero no Terminal Rodoviário Novo Rio, na zona portuária. Até o dia 24 de maio, quem passar pelo terminal poderá ver os 20 painéis, que trazem informações sobre a forma de enfrentamento desse tipo de câncer (o terceiro mais incidente entre as mulheres) ao longo da história até os dias atuais. A exibição antecipa as comemorações do Dia Internacional de Ação pela Saúde da Mulher, 28 de maio.
 
Na cerimônia de lançamento, no Hospital do Câncer II, foi promovido debate sobre as questões vivenciadas pelas mulheres na prevenção e no tratamento do câncer do colo do útero (a íntegra do evento pode ser conferida no canal do INCA no Youtube).
 
Logo no início ao debate, a médica e técnica da Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede da Coordenação de Prevenção e Vigilância (Conprev) do INCA Maria do Espírito Santo Tavares estimulou aos que assistiam a levar a informação de maneira mais simples e direta para as mulheres sobre a doença, principalmente no campo da sexualidade. “É importante que trabalhemos uma forma de abrir essa discussão em qualquer lugar. Como eu posso levantar a autoestima da mulher que teve essa doença? Falar para ela que ela é querida e auxiliá-la", sugeriu.
A diretora-geral do INCA, Ana Cristina Pinho, lembrou que o câncer do colo do útero é prevenível em praticamente 100% dos casos, mas é o terceiro tipo da doença que mais acomete as mulheres. Na Região Norte, representa ainda o tipo de câncer mais comum na população feminina. Para ela, isso se deve à desinformação e às barreiras de acesso aos serviços de saúde. “A exposição que está sendo lançada pretende contribuir para trazer o tema ao debate e oferecer informações preciosas que possam ser realmente úteis às mulheres e aos atores que se dedicam em prol da saúde da mulher", explicou a diretora.
 
O diretor do Hospital do Câncer II, Paulo Mora, ressaltou que 85% de todos os casos de câncer do colo do útero acontecem no Hemisfério Sul, correspondendo a 8% de todas as neoplasias malignas do mundo e causando 9% de todas as mortes por câncer. “O INCA recebeu 16.598 mulheres com câncer do colo uterino para tratamento entre 1990 e 2016. Dentro do nosso planejamento, uma das prioridades é entender onde podemos melhorar a linha de cuidado desse câncer, como tornar mais fácil e mais eficiente a jornada da nossa paciente dentro do SUS, melhorando a chance de cura de quem entra no hospital", disse.
 
Também participaram do debate Maria Assunción Solé Pla, da Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede e Carmen Lucia de Paula, enfermeira do Ambulatório de Sexualidade do HC II, e Renata Barros enfermeira de Atenção Básica do município do Rio de Janeiro.
 
Durante a cerimônia de abertura, foram apresentados os painéis da exposição e o vídeo Mama Bela, Belo Colo, lançado em homenagem ao Dia Internacional da Mulher e que aborda a saúde da mulher e a importância da prevenção do câncer de mama e do colo do útero.
 
Serviço:
Exposição A Mulher e o Câncer do Colo do Útero
Terminal Rodoviário Novo Rio – Av. Francisco Bicalho, 1 – Santo Cristo
Data: 7 a 24 de maio

Copyright