Notícias

Influência das iniquidades sobre mortes por câncer é tema da Revista Brasileira de Cancerologia

Objetivo é contribuir no debate para o controle da doença no Brasil e no mundo

Publicado: 24/04/2019 | 14h00
Última modificação: 06/06/2019 | 14h08

De todas as mortes por câncer esperadas no mundo em 2018, estimadas 75% ocorreram em países de baixa e média rendas, segundo a Agência Internacional para a Pesquisa em Câncer (Iarc, na sigla em inglês).  Se medidas de prevenção e controle não forem adequadamente adotadas, e melhorias no acesso aos serviços de saúde deixarem de ser implementadas, será impossível alcançar uma das metas da agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) referente à redução em um terço das mortes por doenças e agravos não transmissíveis.

Justamente por isso, o tema da edição 64-4 da Revista Brasileira de Cancerologia são as inequidades sociais e os cuidados de saúde na incidência e mortalidade por câncer. Por exemplo, enquanto em muitos países o câncer de mama aparece como o tipo mais incidente entre as mulheres, em países menos desenvolvidos da África e da Ásia esses números são superados pelo câncer do colo do útero, sendo este um câncer totalmente evitável.