Notícias

Ministério da Saúde amplia tratamento para câncer renal

Relatório da Conitec recomendou inclusão de pazopanibe e sunitinibe

Publicado: 21/01/2019 | 10h33
Última modificação: 29/04/2019 | 14h22

O Ministério da Saúde ampliou o tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS) para pacientes com câncer renal e decidiu, após análise da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) pela incorporação dos medicamentos pazopanibe e sunitinibe. Os tratamentos deverão seguir a Diretriz Diagnóstica Terapêutica (DDT) para a doença.

O principal tipo de câncer que pode atingir o rim, e que corresponde a aproximadamente 75% dos casos, é o carcinoma renal de células claras (CRCC). No Brasil, a incidência estimada é de 7 a 10 casos para cada 100 mil habitantes. O prognóstico desse tipo de câncer depende, dentre outros fatores, da idade do paciente e da rapidez em se diagnosticar e tratar a doença.

A Conitec analisou os medicamentos cloridrato de pazopanibe e malato de sunitinibe, que atuam nas células cancerígenas, diminuindo e interrompendo seu crescimento e, até mesmo, destruindo o tumor em estágios avançados da doença.

A recomendação preliminar da Conitec foi desfavorável à inclusão dessas tecnologias no SUS por não haver clareza em seus benefícios. Porém, as contribuições recebidas da sociedade durante o período de consulta pública apresentaram argumentos que enfatizaram a eficácia e segurança do sunitinibe e do pazopanibe em relação aos outros tratamentos já ofertados no SUS para a doença.

Assim, a Comissão deu parecer favorável à incorporação dos medicamentos. A decisão do Ministério da Saúde de acolher a decisão foi publicada no Diário Oficial da União em 28 de dezembro.