Notícias

Ministério da Saúde promove live em comemoração ao Outubro Rosa

Também foi divulgado pesquisa mostrando que mortes provocadas por câncer de mama poderiam ter sido evitadas com meia hora diária de caminhada

Publicado: 22/10/2018 | 15h53
Última modificação: 30/04/2019 | 11h58

Por ocasião das comemorações do Outubro Rosa, o Ministério da Saúde (MS) promoveu uma discussão ao vivo em seu perfil no Facebook (live) com o coordenador geral de Atenção Especializada do MS, Sandro Martins, para falar de prevenção, diagnóstico precoce e hábitos saudáveis. O câncer de mama é o tipo mais comum da doença entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma. O tema da live foi “Precisamos falar sobre o câncer de mama".

Durante a live, na semana passada, foi divulgado o artigo científico que contou com a participação do MS: Mortality and years of life lost due to breast cancer attributable to physical inactivity in the Brazilian female population (1990–2015), publicado pela revista Nature. Segundo o artigo, uma em cada 10 mulheres vítimas do câncer de mama (cerca de 12%) poderiam ter a vida poupada se praticassem atividade física regularmente (150 minutos por semana). A pesquisa mostra, por exemplo, que no ano de 2015, 2.075 mortes poderiam ter sido evitadas se as pacientes realizassem ao menos uma caminhada de 30 minutos por dia, cinco vezes por semana.

“Eu vejo como muito importante o papel de informar a sociedade sobre a necessidade de vigilância em relação a própria saúde", disse Sandro Martins. Ele ressaltou ainda a importância de um “diagnóstico precoce e, portanto, de um tratamento adequado", caso o câncer ocorra. Por isso, “a relevância de iniciativas como o Outubro Rosa".
O câncer de mama responde, atualmente, por cerca de 28% dos casos novos da doença a cada ano. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença. Informações sobre a doença podem ser obtidas na página do MS e do INCA.

O movimento Outubro Rosa nasceu nos anos 1990 para estimular a participação da população no controle do câncer de mama. A data é celebrada anualmente, com o objetivo de compartilhar informações sobre o câncer de mama, promover a conscientização sobre a doença, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.

O INCA participa do movimento desde 2010, promove eventos técnicos, debates e apresentações sobre o tema, assim como produz materiais e outros recursos educativos para disseminar informações sobre prevenção e detecção precoce da doença.