Notícias

Padronização das embalagens e VIGITEL marcam Dia Mundial sem Tabaco 2016


Publicado: 06/06/2016 | 12h34
Última modificação: 21/02/2018 | 15h41

No Brasil, o Dia Mundial sem Tabaco com o tema “embalagens padronizadas de tabaco" foi comemorado perante um auditório cheio no Instituto Nacional de Câncer por autoridades, convidados e técnicos. Os presentes tiveram acesso à análise da pesquisa Vigilância por Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) 2015, pela diretora do Departamento de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde do Ministério da Saúde, Maria de Fátima Marinho. O aguardado Ministro da Saúde, Ricardo Barros, cancelou sua participação na véspera do evento.

O levantamento identificou no Sul e no Sudeste a maior prevalência de fumantes. Porto Alegre é a capital com maior percentual de fumantes (14,9%), seguida de São Paulo (13,7%) e Rio de Janeiro (12,5%). “Ou seja, precisamos intensificar a política de controle do tabaco nessas regiões", disse Maria de Fátima. “A longo de dez anos, o Sul e o Sudeste têm a menor redução percentual de fumantes".

Como signatário da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco, o Brasil se comprometeu a fazer cumprir o artigo 13 que prevê a adoção da padronização de embalagens proibindo termos e cores que busquem suavizar os malefícios dos produtos do tabaco.

Na Austrália, primeiro país a adotar a padronização, em 2012, houve redução na iniciação e na prevalência de fumantes entre crianças e adolescentes. “As evidências científicas justificam a introdução da padronização", reforçou Adriana Barcelar, representante da Organização Pan-americana de Saúde (Opas). “Por isso, em 2016, a OMS pediu aos países que se preparem para as embalagens padronizadas" (sem cores, logotipos ou imagens da marca).

A secretária executiva da Comissão Nacional para a Implementação da Convenção-Quadro (Conicq), Tânia Cavalcante, enfatizou que o tratado internacional de saúde é uma política de Estado e uma ação suprapartidária.

Fonte: INCA – Edição: SE-Conicq

Copyright