Notícias

Pandemia reduz busca por tratamento no SUS para deixar de fumar

Dados terão destaque na abertura das comemorações pelo Dia Nacional de Combate ao Fumo, mas alternativas tecnológicas já minimizam impacto negativo

Publicado: 23/08/2021 | 10h24
Última modificação: 24/08/2021 | 16h56

 A pandemia do novo coronavírus fez a procura pelo tratamento para deixar de fumar cair em 2020. Já no primeiro quadrimestre do ano passado, houve queda de 37% nos atendimentos comparado ao mesmo período de 2019. Mas foi no período de maio a agosto de 2020 que ocorreu a maior queda na procura com uma redução de 75%. Esse intervalo de tempo foi marcado pelo agravamento da pandemia, com absorção total das unidades de saúde atendendo os casos de covid-19, além de ser um momento em que a população evitava o comparecimento aos estabelecimentos de saúde, bem como sair de casa. Essa junção de fatores fez reduzir a oferta e demanda pelo tratamento do tabagismo. 

Os dados constam do relatório Tratamento do Tabagismo no SUS Durante a Pandemia de Covid-19 – Resultados, elaborado pelo INCA, e que será apresentado dia 25, durante a cerimônia de abertura das comemorações do Dia Nacional de Combate ao Fumo 2021 (29 de agosto). O evento será transmitido pela TV INCA

O tratamento do tabagismo é ofertado no SUS na Atenção Básica, centros de Atenção Psicossocial e Atenção Especializada. Nos três quadrimestres de 2020, a maior redução foi registrada nas unidades da Atenção Básica,  que são em maior número e porta de entrada para a população que necessita de cuidados à saúde, como parar de fumar.

Para reduzir esse impacto negativo, entre as medidas tomadas pelo Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT), coordenado pelo INCA, estão cuidados a distância, com estímulo para uso de  ferramentas tecnológicas, como os aplicativos WhatsApp, Zoom, Skype e outros para teleatendimento, capacitação de cerca de 5.400 profissionais de saúde para tratamento ao fumante, fortalecendo não só a Atenção Básica sobrecarregada, mas também aos centros de Atenção Psicossocial e Atenção Especializada e o desenvolvimento de diversos materiais para apoiar a população, os fumantes e as equipes de Saúde, como notas técnicas, alertas, infográficos, cards e mini vídeos.

Na cerimônia haverá a participação, por vídeo, do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. O público também poderá conhecer ações do PNCT no âmbito da Atenção Primária à Saúde e detalhes da campanha do Dia Nacional de Combate ao Fumo deste ano.

Ainda no evento de abertura, o debate A melhor escolha é não fumar, mediado pela jornalista Luanna Bernades, da rádio BandNewsFM, vai reunir profissionais e gestores em Saúde conversando acerca das ações que podem impedir ou levar as pessoas a deixarem de fumar.

As comemorações pelo Dia Nacional de Combate ao Fumo incluem ainda  duas audiência públicas, na Câmara dos Deputados . A primeira, O impacto do uso do tabaco na saúde e as medidas necessárias para prevenir o tabagismo, dia 26, às 14h. A segunda, organizada pela Comissão de Finanças e Tributações, no dia 27, às 14h, com o tema Reforma tributária: um mecanismo para corrigir as distorções entre o que o Estado Brasileiro gasta com Saúde Pública em decorrência das doenças tabaco relacionadas e o que arrecada com impostos incidentes sobre produtos de tabaco. Mais alguns dias a frente será a vez do seminário Abordagem Mínima na Cessação do Tabagismo, dia 31, às 9h30, na TV INCA, e do webinar (seminário virtual) Apresentação das cartilhas com audiodescrição do Programa de Cessação do Tabagismo no SUS, dia 2, às 14h, também na TV INCA

Copyright