Notícias

Projeto do INCA e da Unicamp é selecionado para financiamento por entidade criada por dono do Facebook

Pesquisadores brasileiros propõem uma análise de processos inflamatórios que ocorrem nos tecidos adiposos de pessoas obesas ou não

Publicado: 21/08/2020 | 14h35
Última modificação: 21/08/2020 | 15h04

Uma parceria do INCA e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) está entre os  29 projetos selecionados em todo o mundo para financiamento da Chan Zuckerberg Iniciative (CZI) - entidade criada por Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, e sua esposa, a pediatra Priscilla Chan, que incentiva a ciência e ações educacionais e filantrópicas. A chamada “Single-Cell Analysis of Inflammation” selecionou projetos relacionados a processos inflamatórios no organismo humano. O projeto coordenado por Mariana Boroni, pesquisadora do INCA, e pelos pesquisadores Marcelo Mori e Pedro Moraes-Vieira, do Instituto de Biologia da Unicamp, foi o único selecionado de toda a América Latina.

O projeto dos pesquisadores brasileiros propõe uma análise dos processos inflamatórios que ocorrem nos tecidos adiposos de pessoas obesas e não obesas, de ambos os sexos.  O objetivo da pesquisa é identificar novas subpopulações de macrófagos e como essas células atuam no processo inflamatório de pacientes com obesidade, que são mais propensos a doenças crônicas, como diabetes e câncer

“O nosso grupo de Bioinformática e Biologia Computacional do INCA terá um papel extremamente importante nesse projeto associado à análise de um grande volume de dados que serão gerados por meio do sequenciamento de RNA de células únicas”, explica Mariana Boroni. Ela acrescenta ainda que “a tecnologia de sequenciamento de células únicas ainda é muito pouco utilizada no Brasil, pois requer alto investimento de recursos, além de conhecimentos específicos para a análise de dados”.

A CZI concede suporte financeiro de 175 mil dólares para cada grupo escolhido. "Adicionalmente, ao receber o fomento da CZI, nós teremos a oportunidade de participar do projeto chamado Human Cell Atlas (https://www.humancellatlas.org/), de grande alcance internacional, sendo esse umas das iniciativas extremamente importantes no cenário científico atual da biologia celular", disse a pesquisadora.

Copyright